Passear por Miraflores. Bem cedo que o dia era de partida para Cusco.

Lima
Lima

Ainda deu para almoçar no Chef Café onde, na esplanada, têm cintas nas mesas e cadeiras para prender os bens pessoais. Malas, carteiras, sacos...

Muitos locais gostam de saborear uma conversa nestes cafés. São mais pessoas de idade. Cumprimentam-se e outras que estão a dar uma volta também fazem um breve descanso para uma troca de palavras sobre o tempo... Parece que Lima viveu outros tempos, mais aprazíveis.
A ida para o aeroporto foi feita pelo malecon. Quando se chega ao interior da cidade, o trânsito é um caos e os bairros muito pobres..
Voo para Cusco  na Lan.
Aterragem brusca na cidade mais conhecida dos Andes peruanos.
Percebi logo o efeito da altitude. 3400 metros acima do nível do mar. Em Lima anda pelos 100 metros. Formigueiro nas pernas, ligeira alteração da respiração. Cansaço. Fumar piora. Um pouco “lerdas” . No hotel Royal Inca II uma mulher dizia para outra: “é só controlares a respiração”

Cusco
Cusco

A cidade é pobre, bairros com tijolos, ruas sujas, transito caótico. Na viagem de táxi do aeroporto para o hotel deu para perceber. O taxista decidiu mudar de caminho e fomos pelo mercado central. Centenas de pontos de venda (com produtos para o mundo rural) enchem os passeios. Lojas pequenas. Como as pessoas. Mulheres de chapéu, várias saias, nariz característico e tranças compridas. Pelo meio, passámos por uma rua estreita ao lado do mercado. Vendiam carnes. Cenas raras...

À noite, um passeio pelo centro histórico. Faz parte da lista de património da Unesco. Muitos turistas vagueiam pelas ruas. Às dezenas. Estava frio mas não tanto para andarem com gorros e casacos de frio intenso.

Largo da Catedral
Largo da Catedral

Na Catedral celebrava-se missa. Uma mulher, muito jovem, com uma criança, estava no cume das escadas. Tinha uma voz muito doce, suave. Falava com um homem. Talvez turista. A catedral estava cheia de fiéis e participavam em mais um ritual da Semana Santa. A Catedral é fantástica.
A praça em frente da catedral estava cheia. Muitos artesãos e turistas. Se não fosse o turismo para Machu Picchi, Cusco seria uma terra muito pobre.
Como muitos outros centros urbanos no Peru (e Bolivia) o centro histórico fica num vale e conforme aumenta a altitude, baixa a qualidade de vida. Há pequenas “ilhas” ocupadas por classes mais ricas mas, em termos gerais, as cidades têm um território bem estratificado do ponto de vista social.
O mesmo sucede em Cusco. A noite esconde esta diferença e do centro da cidade há um horizonte de luzes que sobe pelas colinas.

Fotos do Peru